encontrar restaurante

Loading
Flor dos Congregados
2.0
votos 139
ainda sem foto
 

Travessa dos Congregados, 11
4000-179 Porto

comentário

A flor renasceu e floriu

Grande restaurante, grande ambiente e pessoas impecáveis a atender.

Vale muito a pena

Boa sorte!

5.0 estrelaspor Pedro em 29/4/2015

comentário

Flôr dos Congregados

A quem teve uma má experiência neste restaurante, aconselho-os a dar uma nova oportunidade à nova gerência. Conheci este restaurante na semana passada e só tenho a dizer coisas boas.

Comida e atendimento 5 estrelas. Levaram me a conhecer o local na Sexta-feira e no Sábado fui lá outra vez comer a famosa sande terylene. Espetacular.

5.0 estrelaspor Ana Tavares em 25/7/2013

comentário

Nova Flor dos Congregados

Uma Flor renasce no centro do Porto.

O nome Flor dos Congregados está associado a uma casa de pasto com mais de 170 anos, marco histórico da cidade do Porto em termos de gastronomia e arquitetura.

A Flor dos Congregados reabrirá num dos primeiros dias de Dezembro de 2012 com o mesmo sabor, mas com nova essência. Queremos proporcionar novas experiências, convívio num ambiente familiar e informal, onde se possa sentir sempre bem-vindo.

Convidamo-lo/a a vir experimentar o mesmo espaço com novo serviço.

A nova gerência

5.0 estrelaspor Gerência em 3/12/2012

comentário

Direito à informação e ao respeito pelo cliente

Penso que se as pessoas e sentem mal tratadas têm o dever de tornar isso público. Ainda bem que o Duarte foi bem atendido, embora pela forma como a minha mesa e de alguns turistas foram tratados recentemente eu só posso dizer que em tempos de crise não se deve ir a restaurantes onde o DONO tem uma linguagem porca e indecente. Sim, ouvem-se palavrões, tem mau feitio, quer fazer tudo como lhe apetece e esquece-se que ele tem a porta aberta para servir os clientes. Ninguém tem de aturar isso, principalmente quem paga por um serviço. Até podiam ter a melhor comida do mundo que basta ser-se mal atendido para que o lugar não fique bem visto. Por mim nunca mais lá volto.

Por muito dificil que seja ter a porta aberta há sempre lugar para a educação. A arte de bem servir não é para qualquer um. O meu espanto é como ainda tem a porta aberta.

1.0 estrelaspor Isabel Venceslau De Miranda em 27/9/2012

comentário

Um sitio perfeito para saborear a boa comida portuguesa.

Espaço dos mais bonitos que já vi, ambiente acolhedor privado e nostalgico, comida excelente do melhor da colida portuguesa. Aconselho vivamente a experimentarem.

5.0 estrelaspor Duarte em 24/9/2012

comentário

confiavel

Não concordo com o que aqui dizem,mas claro que cada um tem a sua opinião.Mas uma coisa vos digo a comida e muito boa e confiável o peixe e sempre fresquinho e já o vi la dentro ate a saltar o que não se vê muito por ai.Sou um cliente que vou la com alguma frequência só não vou la mais vezes porque não posso.O que muita gente diz de mal também a mim já me o disseram mas eu sou apologista do ver para querer se e que me entendem.E o facto e que não estou arrependido. Agora também temos de ter consciência de que nao e fácil gerir um restaurante e as opiniões variam uns gostam muito, outros gostam pouco.Agora para finalizar exprimentem não se fiquem pelo que vos dizem.

4.0 estrelaspor M.S em 19/8/2012

comentário

surpreendido

por acaso tambem fui a esse restaurante e vi k o dono estava um pouco alterado com os clientes sentei me com a minha familia nao me faltou ao respeito nem por perto comemos bem e fomos recebidos mas fiquei admirado com certas atitudes do dono

3.0 estrelaspor Joao em 8/12/2011

comentário

Uma vergonha para o Porto e para o país!

Se eu tivesse lido estes comentários há mais tempo.... Bem, hoje fui jantar a este espaço vergonhoso. Entrei e o dono, com uns modos "estranhos" "mandou-me" sentar numa mesa que distava uns 15 cm da mesa do lado. O dono veio à mesa e, com um pano a tresandar, "limpou" a mesa. Sentada num banco, sem ter onde pousar a carteira, permaneci, sem tirar o casaco( a temperatura também nao era convidativa)... Chegou a lista. 3 Pratos de carne e outros tantos de peixe, era a variedade. Desconfortável, pouca variedade... atendimento (até essa altura) apenas estranho. Embora com vontade de ir embora e quase a fazê-lo, resisti. Entretanto, na mesa a 15 cm da minha, sentou-se um casal de italianos. O dono perguntou se já tinham escolhido, ao que o casal respondeu, perguntando se ele falava inglês... O homem, completamente doido, disse " aqui só se fala a língua de Camoes" e virou as costas... o casal ficou baralhado, porque nem percebeu o que o homem disse, mas como o tom é universal, levantaram-se e foram embora. À saída, o homem ainda se virou para eles e disse " boa viagem"!! Impressionante! A nossa comida chegou... O polvo, nao era polvo, era pota ( é parecido- só parecido, e sobretudo muito mais barato do que o polvo, mas o aldrabao apelidou de polvo e fez o preço como se de tal se tratasse); o bacalhau à Porto era bacalhau frito com batata frita congelada e uma risca de maionese sobre o bacalhau...enfim. O pao horrível, parecia que tinha dias.. Nem sobremesa, nem café, quis logo a conta para sair dali depressa. Estava (inacreditavelmente) cheio, mas a verdade é que a maioria eram turistas... que bela imagem da cidade e do país! No que depender de mim, aquela casa fecha. Talvez a Asae dê lá um salto, um dia destes. A julgar pela postura, o dono nao deve ter nada a perder, deve ser abastado e certamente poder-se-á dar ao luxo de ficar a rezingar com as paredes!

MUITO MAU! Nem experimentem!!

1.0 estrelaspor Nádia Landolt Cardoso em 5/11/2011

comentário

Surreal...

Sábado à noite. Frio. Muuuuitoo frio. Eu, a Marisa e a Renata ( duas poetisas do melhor que há, façam o favor de comprar os livrinhos delas!) decidimos, animadíssimas, jantar antes de irmos assistir a uma peça de teatro na qual trabalha uma Amiga, como actriz. Lá procuramos o melhor(??) sítio para o repasto, famintas, e, como diz o ditado e bem, “quem muito escolhe pouco acerta”, assentamos arraiais naquele que viria a tornar-se o local onde vivi das cenas mais caricatas( chamemos-lhe assim que é Natal e fica mal dizer palavrões) que me aconteceram na vida, até agora.

Podia contar detalhadamente o que se passou naqueles 45 minutos, se tanto, que passamos lá dentro mas acreditem que não há caracteres que cheguem e ainda assim ficaria muito por dizer.

Portanto, vou tentar resumir a cena surreal digna, mesmo, de uma cena de filme de 5ª categoria rodado em Bollywood.

Então, entre outras coisas, assistimos a duas tristes cenas de xenofobia que nos envergonharam de morte, fomos praticamente obrigadas a comer uma Vitela INTRAGÁVEL ( chamo-lhe só intragável que a pobre da vitelinha não teve culpa nenhuma!), eu e a Renata fomos ostracizadas por não bebermos álcool ( LOL ), Ice Tea só de Manga “ e é pra quem quer, que isto o cliente tinha sempre razão mas era antigamente, agora não tem razão nenhuma, cara**!” , comemos pãozinho seco que diz que “ é de centeio, pra manter a linha, meninas!” , etc., etc. , etc.…

Mas o pior foi quando, fartas daquilo, nos levantamos para pedir a conta e FACTURA. Oh, meus amigos, isso então é que foi a “pura da loucura”!!

Bom, resumindo e concluindo, a Renata esteve a “isto” de ser agredida com o manípulo da máquina de café, tivemos que chamar a policia, deixamos uma dedicatória no livro de reclamações que, por acaso, estaca CHEIO, isto sempre a ser insultadas à boa maneira Portuguesa, mesmo à frente dos Agentes de Autoridade. Toda a gente, repito, TODA a gente saiu daquela espécie de Restaurante sem comer e em estado de choque com o sucedido.

Pronto, eu sei que ter que trabalhar é chato, uma maçada, vá, eu própria padeço desse mal, sobretudo à Segunda-Feira de manhã. Mas como não tenho pais ricos, ninguém me dá nada ( o que está mal, devo dizer!), nem nunca herdei nada de ninguém, diz que tenho que me fazer à vidinha, não é verdade?

Mas folgo em saber que , mesmo em tempo de crise, há quem não precise de trabalhar, nem de clientes, nem de dinheiro, nem de nada. Pena é eu não ser uma dessas felizes contempladas.

Posto isto, pela vossa rica saudinha, NUNCA caiam na asneira de ir jantar ou almoçar, ou o que quer que seja, ao “ Restaurante Flor dos Congregados” sita na Tv. Dos Congregados, nº 11, no Porto.

E, se vos apetecer, só em solidariedade, vá, façam a pior publicidade do local. Eu, a Marisa e a Renata tudo faremos para que aquilo tenha os dias contados.

1.0 estrelaspor Marisa/Ana/Renata em 30/9/2011

comentário

Excelente... um símbolo

...mas de má educação, da arte de não saber receber clientes. Os estrangeiros, coitados, não percebem o que o dono diz. Limitam-se a sorrir, mas não da simpatia. Nem do esforço, nem do empenho, do dito dono, para tentar bem servir.Assistimos ao típico "come e cala". Uma vergonha. Os portugueses, reagem conforme o estômago de cada um. Há sempre curiosidade em experimentar, pois o espaço até é agradável, mas o dono, que é o pior exemplo para a classe, é que não faz parte daquele cenário. Nós levantámo-nos, sem jantar, perante tanta grosseria.

1.0 estrelaspor J.V.C. em 20/8/2010

comentário

O pior cartão de visita do Porto

Ontem fui jantar a este restaurante e juro que

nunca mais lá volto!

Senti-me incomodada com a forma como os clientes estrangeiros eram atendidos ... simplesmente uma vergonha!

O serviço péssimo!

A tábua de queijo e de presunto era constituida por uma espécie de aparas ....

O bacalhau ... especialidade da casa ... que práticamente me foi imposto, estava muito salgado, ornamentado com batatas fritas requentadas ... horrível!

1.0 estrelaspor Isabel A.M.G. Almeida em 11/6/2010

comentário

Horrível, má educação, o pior atendimento

Muito mau, muito mau, o dono tratava mal os clientes com palavrões insultos, era quase ameaçador. Os clientes na sua maioria estrangeiros eram muito mal tratados e insultados, o mais grosseiro possível.

NUNCA FUI TÃO MAL TRATADA!

1.0 estrelaspor Isabel em 15/3/2010

comentário

Uma má educação como nunca vi.

Não aconselho este restaurante “ Flor dos congregados”

Ontem fui jantar a este restaurante com uns amigos, embora a comida até fosse” boa”, gostaria que a ASAE visitasse o local, porque não é normal onde um restaurante que estava vazio, sentamo-nos 4 pessoas em que pedimos chanfana de vitela e apenas demorou 5 minutos a ser servido e onde as batatas vinham esturricadas mas mornas, logicamente que a comida já estava confeccionada sabe-se lá á quanto tempo… Mas o que me leva a escrever foi a falta de educação do dono que passava a vida a dizer palavrões muito desagradáveis a torto e a direito. Também presenciei uns comentários inacreditáveis do Dono em relação a um casal de Franceses que se tinham sentado numa mesa ao lado da minha e que estavam com dificuldade em se exprimir com o dono, visto este falar em português com comentários dirigidos ao casal do género “o que é que queres comer meu caralh… carne, ou peixe” “ vens para aqui falar francês meu caralh.. quando eu vou a Paris não posso falar em português” Claro que o casal se apercebeu da má educação e da arrogância do Dono levantaram-se e foram embora. O dono perante isto ainda disse; “ vais-te embora, então vai à merd….” fazendo um gesto obsceno virado para o casal de franceses. Ainda tentamos chamar a atenção do homem para o que estava a fazer, mas em vão porque a resposta que obtivemos daquele homem foi “ é o que estes gajos merecem” No final eu não paguei mais nada para além do que consumi. Mas ouvi o Dono a avisar para se levar mais 10 euros a um grupo que lá se encontrava.

Este foi o exemplo de como se destrói a imagem do povo português perante os estrangeiros, este homem é o ser mais nojento que alguma vez conheci.

06-03-2010

Eduarda Pinto

1.0 estrelaspor Eduarda em 7/3/2010

comentário

inacreditável...

Sinceramente não aconselho de todo uma visita a este restaurante. O Sr. que nos atendeu, que pelo que vejo é o dono, é das pessoas mais mal criadas e arrogantes que já conheci. Nunca ouvi ninguém tratar os clientes daquela forma (com uma série de palavrões inacreditáveis) e ainda por cima na ausência dos queixosos que com razão reclamaram que o preço que ele lhes pedia não era o que estava na tabela exposta no exterior da loja!Uma grande desilusão!A comida até é boa e o espaço agradável, mas não vale a pena!O Sr. devia ter aprendido primeiro a receber as pessoas e só depois é que devia ter aberto um restaurante!

1.0 estrelaspor Isabel Alves em 4/1/2010

comentário

Pura desilusão

Esta semana resolvi ir ao Flor dos Congregados com uma amiga para almoçar. Já algum tempo que queria conhecer este local pois parecia-me lindíssimo, uma arquitectura estilo antiga, pequeno e acolhedor, enfim, um local que parecia saído de um filme. Mas... o senhor que nos atendeu, não sei se seria o dono (mas pelos comentários que agora aqui vejo, devia ser) foi mesmo arrogante. Fiquei tão desiludida... e o que fizémos? Simplesmente saímos e fomos a outro, não gostamos de tomar estas atitudes mas de facto foi merecido.

1.0 estrelaspor A.S. em 14/11/2009

comentário

nao aconcelho

o pior sitio onde comi, dono arrogante, sem caracter e é pena pois o espaço é agradavel, mas nao compnsa o resto

1.0 estrelaspor Joana Andrade em 6/9/2009

comentário

Genuíno

Genuino é a palavra que encontro para o espaço, a comida e as pessoas deste restaurante. Desde a qualidade dos alimentos e a confecção, vinho e principalmente as sobremesas (sericaia e queijo dourado são divinais!). O espaço é muito acolhedor, com pormenores "requintados".

Parabéns, sou fã da boa comida!

4.0 estrelaspor Patrícia Rodrigues em 28/8/2009

comentário

Um dia gostaria de saber a que sabe a comida...

O que falta neste restaurante é educação. O dono para além de arrogante e sem o mínimo jeito na arte de receber (parece que nasceu de mal com a vida) trata os clientes com sarcasmo. Não é assim que se constrói uma casa.

Em espaços assim a comida não sabe a nada. E no Porto não faltam locais onde boa comida rima com prazer em receber.

2.0 estrelaspor Rui em 21/7/2009

comentário

Iscas de bacalhau

Restaurante na baixa do Porto com características peculiares. Já foi afamada casa de pasto e hoje é um acolhedor restaurante e de comida vincadamente tripeira. Tem por norma sardinhas de escabeche, petingas fritas, enguias da Murtosa e iscas de bacalhau - uma espécie de pataniscas, com bacalhau aos lombos e massa mais consistente. Tem peixe fresco, mormente robalo selvagem e diariamente tem filetes de polvo e bacalhau no forno. As tripas são prato pujante da ementa sem esquecer os rojões e o cabrito. Preços a condizer com a casa.

4.0 estrelaspor António De Sousa em 30/12/2008

comentário

Demais!

É daqueles vícios. O sítio é bom, a comida também e os donos muito suis generis. Um sítio no Porto a não perder.

4.0 estrelaspor Ana em 26/2/2008